abril 13, 2011

Carta de Despedida XIX

 Eram 6 horas da manhã, em ponto; ainda se via, ao longe, uma ténue escuridão que, lentamente, desaparecia, dando lugar aos claros raios de sol que surgiam por trás deles. Gonçalo estava sentado, com Maria ao lado que dormitava encostada a ele, num banco da estação de comboios, esperando Martim. Este tinha-lhes telefonado no dia anterior a dizer que saia de lá por volta das 5 horas e que só chegaria por volta das 7:30 horas mas nenhum de ambos conseguia pregar olho e, por isso, tinham se dirigido mais cedo para a estação. Mas, agora, com o passar do tempo, o cansaço apoderava-se dos seus corpos por terem descansado pouco e Maria, pelo menos, já se sentia a adormecer, o tempo passava de vagar mas, finalmente, aperceberam-se que eram 7:30 horas e, rapidamente, ouviam o comboio chegar a toda a velocidade. «Que pontual!» - pensaram ambos.
Martim, fora o último a sair da carruagem e eles já se encontravam impacientes. Imediatamente, repararam nas mudanças físicas: já lhe crescia uma fina barba, tinha os músculos mais desenvolvidos e os ombros mais largos, também estava mais alto e, curiosamente, tinha um ar jovial, o qual não esperavam; pensaram que, com tudo o que se tinha passado ele viesse com um ar um tanto-quanto carrancudo e com um leve ar de cansaço, mas não.
Ao vê-los, Martim sorriu e dirigiu-se a eles, primeiro a Maria e depois a Gonçalo, ao qual deu um grande e longo abraço.
Martim: Como estão? - disse, com um ar sorridente e brincalhão.
Gonçalo: Estamos bem irmão. E felizes por te voltarmos a ver.
Pelo caminho, Martim, contou-lhes tudo o que se passou naqueles dois anos em que se encontrou ausente. Maria, teve de passar em casa e, quando se encontraram sozinhos, os dois rapazes meteram a conversa em dia. Passado um pouco:
Martim: Deixaste de lá ir não foi?
Gonçalo: Sim, como fui para nova york deixei mas ..
Marim: Mas?
Gonçalo: Pedi a mãe dela, ela também ia lá todos os dias e disse que fazia o favor.
Martim: Tenho de passar lá em casa ... agradecer-lhe!
Gonçalo: E em relação a ...
Martim: Sim, ainda a amo, ainda me arrependo, ainda a quero e isto tudo é algo que nunca vou conseguir superar. Não falemos disso; tu sabes, eu amei-a como nunca amei ninguém, nós devíamos ter ficado juntos. Eu ainda a amo e já passaram dois anos! Olha .. dá-me lá a carta que encontras-te


[inventado]

29 comentários:

  1. Não as sigo desde o inicio mas estou a gostar imenso :)

    Lil

    ResponderEliminar
  2. obg, mas nada comparado com o teu ritinha :)

    ResponderEliminar
  3. gostei muito.
    inventado mas muito bonito :o

    ResponderEliminar
  4. Adorei o teu blog & adorei os textos !
    - Já sigoo (;

    ResponderEliminar
  5. Não sigo estaas cartas de despedidaeijinh desde o incio, mas mal tenha um tempinho irei ler, gostei muito desta carta, está perfeito, tens muito jeito para a escrita, estás de parabéns :D
    Beijinhos e irei seguir :D

    ResponderEliminar
  6. De nada e obrigada ! nos próximos dias publicarei uma 3ª parte

    Lil

    ResponderEliminar
  7. Estou a gostar mesmo da tua história.
    Dizes-me o nome desta musica? (:

    ResponderEliminar
  8. ou nao, é mesmo verdade fofinha :))

    ResponderEliminar
  9. muito obrigada querida, em seguida tbm vou ler este teu textinho

    ResponderEliminar
  10. claro, Boyz II Men - Water Runs Dry, mas o cover é dos Boyce Avenue:)

    ResponderEliminar
  11. não tens nada que pedir desculpa, eu já nem tenho tido tempo para vir aqui ao blog, treino todos os dias de manha e de tarde -.-

    ResponderEliminar
  12. o meu treinador é um bocado tolo :'

    ResponderEliminar
  13. eu sempre que há férias ou um feriado tenho estágio LOGO, o meu treinador nem pergunta se podemos e quem nao for nao é convocada -.-

    ResponderEliminar
  14. Gosto do blog :d
    Sigo, segues-me?
    Beijinhos *-*

    ResponderEliminar
  15. eu também sou, mas hoje não estou com vontade de teimar xD

    ResponderEliminar