julho 19, 2011

Letters to my self (parte IX, última)

Hoje, após um mês, finalmente, voltei a aceitar-te na minha vida. Enquanto me encontro aqui, deitada a teu lado, a olhar a tua tão serena expressão de um menino pequeno a dormir com o seu brinquedo, e redijo mais uma pequena carta penso no quanto fui cobarde por te ter abandonado daquela forma, sem te explicar o que quer que fosse, sem esperar uma acção da tua parte, o quanto fui parva por deixar a minha cabeça guiar-me, a qual fazia com que o meu coração não pudesse reagir e com que eu andasse a evitar qualquer contacto. Percorri todas as ruas da cidade para evitar qualquer, inevitável, contacto contigo. O que foi tempo perdido pois, passados dez anos, ainda estou aqui, deitada a teu lado, a ouvir a tua respiração e acariciar o teu cabelo. Desta vez sim, este caderno vai ser guardado, para daqui a uns tempos, ambos, recordarmos tudo isto, junto aos nossos filhos, olharmos para trás e vermos o que conquistamos. Eu amo-te, meu príncipe. E quer-me parecer que, por vezes, ainda existem finais felizes.
(inventado - fim)

Peço desculpa, pois sei que o fim não foi dos melhores. Ando sem ideias, que querem ver no meu blog? Love you all

9 comentários:

  1. Obrigado Ana, não consigo/não sei como comentar o teu blog :s

    ResponderEliminar
  2. Sim, imenso :)
    Estar em Sesimbra é sempre relaxante!

    ResponderEliminar
  3. obrigada.
    pois mas tinha medo que as pessoas não gostassem. é a primeira história que faço e não percebo muito bem como fazer isto. muito obrigada pela opinião.
    ps: desculpa estar a responder em anónimo mas hoje nao estou a conseguir comentar com a minha conta. ass: catia neves(http://pedacosdemim9.blogspot.com/)

    ResponderEliminar
  4. muito obrigada por os conselhos :D ass: cátianeves

    ResponderEliminar