março 19, 2011

Um sempre que ficou gravado (I)

Tinha chegado a altura, eu sabia que tinha de me levantar da cama, deixar esta depressão e seguir em frente. Tinhas sido claro, tinhas partido mas tinhas-me pedido que não deixasse de ser feliz, o teu bilhete tinha dito tudo: «Peço-te que não tentes perceber, foi a saída mais cobarde mas a única que eu suportaria. Por favor sê feliz. Mas nunca esqueças o nós"». Eu sabia que tu estavas a passar uma má fase, mas não ao ponto de por fim a tudo. Mas eu tinha decidido honrar a tua memória e o teu pedido. Tinham passado duas semanas e não tinha, ainda, saído de casa. Finalmente tinha "caído" em mim e tinha-me apercebido que, de nada valia estar ali, se te tinha realmente amado. Tu tinhas ido e eu ficado e, queria fazer o que tinhas pedido.
[Passados 2 meses]
Eu sabia que não te tinha esquecido, mas já tinha encontrado alguém que tornava, suportável, a minha vida sem ti. Eu gostava dele! Ele gostava de mim! Eu sabia-o mas não achava isso o suficiente. Estava em casa, sentada no sofá, olhava pela janela e recordava os momentos que me tinhas proporcionado, mas, acabei por reparar que, agora, sentia que os queria com ele. Não nos mesmo sítio, não ás mesmas horas, mas sim, queria-os. Isto era tudo novo. De repente ouvi o telemóvel vibrar, em cima da mesa e, para meu espanto, o destinatário dizia: David.
«Vem ter comigo ao porto»
Eu perguntei-lhe o motivo e apenas recebi uma mensagem «Quando lá chegares procura um barco azul.»
Não entendia mas, vesti-me e fui ter com ele. Ao chegar só vi um barco ancorado, só podia ser este além de que, era azul. Ao chegar perto dele, a primeira coisa que reparar fora que, na vela principal, estava o Maria, escrito em grande.
Maria: David?
David: Estou aqui, sobe.
Maria: Explica-me, porquê o meu nome na vela?
David: Ouve, eu sei que não andas bem, mas eu quero fazer de ti a minha princesa. Um dia destes, levo-te a dar a volta ao mundo, neste barco e, vamos ser felizes juntos.
Maria: Contigo? Seria feliz. Não precisavas deste barco, um barco a remos num lago pequeno, já seria único. Ouve ..
David: Sim?
Maria: Podemos sonhar ..
David: Como assim?
Maria: Sim, que és um príncipe num cavalo branco. Só assim eu seria uma princesa.
David: Não, tu és uma princesa. Porque fazes de mim o rapaz mais feliz do mundo.

[inventado]

7 comentários: