setembro 09, 2012

cigarros e amor francês #4



Perdi-te e no entanto nunca te tive. Vi-te hoje de manhã sair de casa de malas na mão blasfemando qualquer coisa imperceptível e alegando nunca mais regressar, deixei cair a chávena de café e vi-a estilhaçar-se em mil e um bocados, como nos filmes. Por momentos pensei que estivesse no cinema, sozinha, a ver um filme no meio de tantos outros desconhecidos, e que o ator principal fosse em tudo semelhante a ti, mas não, aquilo era realidade pois, se fosse num filme, eu largaria também o cigarro que agora era desgastado pelo vento e correria atrás de ti e te diria tudo o que alguma vez pensei. Apesar de todos os meus desejos deixei-me ficar, impávida, a ver-te seguir o teu caminho sem ninguém que te impedisse, nem eu mesma, aí compreendi que eramos mais semelhantes do que alguma vez pensei e do que alguma vez tu saberias, mas deixei-te seguir, na mesma, sem nunca abrir a boca, não tentando dar uma oportunidade ao destino de nos juntar. Talvez dois seres tão iguais não devam ficar juntos ou talvez seja eu que tenha medo. Sim, acho que sou eu ..

6 comentários:

  1. Já te estou a seguir :)
    Beijinho, Stay Awesome*

    ResponderEliminar
  2. - adoro o teu blog *.* como faço para te seguir? :s segues de volta? :3

    ResponderEliminar
  3. - não encontro nada s: no meu está no fundo...

    ResponderEliminar
  4. - tens de pôr os seguidores visíveis para eu conseguir princesa...

    ResponderEliminar