novembro 06, 2011

She dances in the rain


E chegara, em fim, o Inverno e eu encontrava-me sentada na varanda, com a caneca cheia de chocolate quente a aquecer-me as mãos e uma pequena e doce manta azul sobre as pernas. Via a fraca chuva cair doce e melodiosamente e, por estranho que parecesse, não estava frio e o clima era reconfortante. Via as pessoas apressadas e com chapéus-de-chuva negros a passar na rua, lá em baixo, tentando fugir da chuva para não se molharem, ou para minimizarem a quantidade de chuva que, sobre eles, caía. Eu olhava para eles, abrigada pelo telheiro da varanda, atentamente, achava piada à dança agitada deles sob a chuva e gostava que, um dia, alguém sentado à varanda, de cigarro na mão, olhasse para a rua e ao contemplar a minha dança sob a chuva a achasse tão graciosa como eu, outrora, teria achado ou viria a achar, a sua.
(inventado)

3 comentários: