abril 19, 2011

I'm alone (what am I feeling?)

Não conseguia compreender, eu sempre fora muito reservada e agora, pela primeira vez, falava sem me preocupar com o que ele pensasse do que eu dizia eu sentia que podia confiar-lhe tudo isto e que ele nunca me iria julgar. Ainda não entendi bem as minhas acções da noite passada, o porquê de o abraçar, de o beijar e, principalmente, o porquê de o ter repetido hoje. Toda a gente no colégio ficara espantada ao vê-lo dar-me a mão e, ainda mais, por me verem retribuir-lhe esse gesto dando-lhe um longo e demorado beijo. Já tínhamos sido alvos de todo o tipo de comentários mas eu não queria saber e, algo me dizia, ele muito menos. Eu não sei ainda bem o porquê mas todo o dia passou a correr, estivera sempre com ele, talvez fosse por isso. De noite, sai a correr, direita ao jardim, assim que pude. Ele já me esperava lá, estava sentado, vestia uma t-shirt branca, sob a qual tinha um casaco azul, os seus jeans pretos confundiam-se na escuridão da noite. Ele encontrava-se sentado a olhar para as estrelas; cheguei e, com uma mão, tapei-lhe os olhos, de modo a que me pudesse virar para ele e lhe dar um, grande, beijo. «Marrie, podes deixar as brincadeiras», soube que era eu, naquela altura, fiquei a pensar no que seria se fosse outra rapariga qualquer a fazer-lho e não ele, o que ele faria? Apercebi-me da estupidez do meu pensamento, mas porque raio estava eu a pensar neste tipo de coisas? Todo este sentimento me era desconhecido, tudo isto era, para mim, um mundo novo.
Vi passar uma estrela cadente e desejei ficar com ele, pela primeira vez tinha feito um pedido a uma estrela «nem parece teu Marrie» -pensei-«parece que começamos a cometer loucuras e, a primeira de todas, é começar, lentamente, a mudar a nossa maneira de ser».
Dei por ele a olhar para mim e, quando ia perguntar o que se passava, ele fez sinal para me calar. Olhei-o, confusa, Beijou-me e agarrou-me ao colo, levou-me para cima e disse-me: Desculpa meu amor, mas já é tarde. Espero por ti amanhã, amo-te muito.
Fechou a porta do meu quarto atrás de si, tendo-me deitado na cama antes de se ir embora.
Marrie
[invetado]

28 comentários:

  1. ai que fofiiiiiinha, já tenho o link do teu blog no meu :)) vai ver *
    princesa, vou ler o teu maravilhoso texto e já te digo alguma coisa :p

    ResponderEliminar
  2. oh obrigada querida, ainda bem que gostaste *-*
    ahahahaha, estava a ver :b

    ResponderEliminar
  3. és é uma querida *-*
    deixa lá, que distraída também eu sou xD

    ResponderEliminar
  4. ohhhh, eu adoro o que escreves mesmo :) é um prazer ter o link do teu blog no meu *
    quanto ao texto, é preciso dizer? A-M-O, nao é novidade nenhuma :p

    ResponderEliminar
  5. adorei :)
    está simples mas não deixa de estar lindo

    ResponderEliminar
  6. é o que eu sinto princesa, que fui completamente usada.

    ResponderEliminar
  7. somos as duas queridas e distraídas (:

    ResponderEliminar
  8. ritinha, os teus textos são lindos. quando os leio esqueço completamente o que está ao meu redor, e isso é bom, é uma maneira que as tuas palavras têm para captar a minha atenção. portanto, continua assim :) estou a adorar.

    ResponderEliminar
  9. nao te preocupes fofinha, lenvanto-me sempre...

    ResponderEliminar
  10. o teu blog está mesmo bonito , amo o teu fundo :O , sigo com gosto, acompanhas ;)

    ResponderEliminar
  11. sigoo
    segues me tambem?
    bjs gostei do teu blog

    ResponderEliminar