fevereiro 27, 2011

Livro Aberto

Capitulo II
Sentia-me como se pudesse tocar nas nuvens, nem sei explicar, ainda só estávamos cá um dia e já tinha tido um dia maravilhoso, pudera que fossem todos assim. Sentia-me uma criança pequena num parque de diversões, explorava cada canto e recanto, cada flor e cada árvore, sentia a areia nos pés descalços e a água fria do mar, como se fosse a primeira vez, fazia tudo para que fosse uma experiência única. Estava sozinha, sentada na areia a olhar o horizonte, sentia os poucos raios de sol que ainda se viam a incidir em mim, muito levemente, enquanto observava o por-do-sol. Do  nada, ouvi uma voz...
André: - Susana, anda para dentro.
Susana: - Vou já.
André: - A Daniela e o Mário querem ir sair, estão a nossa espera, querem ir a uma discoteca qualquer aqui perto.
Susana: - Oh, está bem, estou a ir.
Levantei-me apressadamente dirigi-me ao quarto e tomei um duche rápido. Vesti um dos meus vestidos preferidos, que trouxera, calçara umas sandálias, secara o cabelo, penteara-me e pronto, estava despachada. André esperara por mim, fomos então os dois ter com eles.
Daniela: - Estava a ver que vocês não se despachavam.
Disse ela, já impaciente.
Susana: - Desculpa a culpa foi minha. Mas não estavam com tanta pressa? Vá, vamos, vamos. Toca a andar
Dirigismo-nos para a discoteca, a qual era bastante perto do hotel onde estávamos instalados. Dançamos até não poder mais, realmente estávamos felizes ali.
Disse a Daniela que me apetecia ir lá fora um bocado e fui dar uma volta. Passou uma hora e eu não tinha voltado, André saíra do pé deles e fora procurar-me, não sabia bem onde ir a minha procura, mas dirigiu-se à praia pois, eu passara horas e horas lá. Eu estava junto ao mar, sentada a olhar as estrelas. Ele aparecera do nada e assustara-me ...
Susana: - Ai André, que parvo.
André: - Oh, já tinha passado algum tempo e vi a tua procura.
Susana: - Não sabia que tinha passado assim tanto tempo...
André: - Pois deixa lá isso ... Sabes uma coisa?
Susana: - Diz ...
André: - Acho-te muito bonita
Susana: - Oh, deixa lá de ser tótó.
Estávamos sentados lado a lado e após ele ter dito isto, concentrei-me nele. Realmente ele sim, era muito bonito, tinha umas feições bem distintas, um sorriso encantador e acolhedor, olho azul e cabelo loiro e uns olhos muito brilhantes. Sim, ele era bastante bonito e estar ali, sozinha com ele, depois do dia anterior era um pouco constrangedor, será que ele quereria alguma coisa comigo? Ele aproximou-se de mim um pouco mais e disse-me ao ouvido: 
- Susana, és a pessoa mais linda que conheço, por dentro e por fora. 
Já éramos amigos à tanto tempo e eu só agora é que reparar bem na sua incrível maneira de ser, éramos chegados, davamo-nos bem, mas nada como isto.
André: - Olha, desculpa se te vou ofender com isto ...
Susana: - Com o quê?
André: - Com o que vou fazer.
Susana: - O que é que ...
Beijou-me. Toda a gente pensa "um dia beijo-te a meio de uma frase" mas nunca pensei que me fizessem isso. Ficámos assim durante bastante tempo. agarrados, apenas nisto. Não sabia o que fazer, apenas sabia que gostava, e muito!
(inventado - dedicado a MQ)

4 comentários: